Quinta-feira, Outubro 6, 2022

Entrevista com IhhZAS

Recomendado
GM Teamhttps://grandamambo.com
Grandamambo é um Portal que centra o seu conteúdo na Promoção, Informação e Educação Musical, Cultural e Artística.

O GRANDAMAMBO entrevistou o IhhZAS, um artista angolano da nova escola que está a trilhar o seu caminho para obter o reconhecimento e popularidade que merece.

1. Quem é IhhZAS?

Dos anos 90, nascido a meio da guerra no dia 14 de Março de 1997, em Angola – Lunda Norte, Dundo. IhhZAS é o nome artístico de Isaías Franco Samulolo, cuja ocupação Estudante, Trabalhador, Cantor, Compositor, e Semi-empreendedor.

2. Para quem não conhece o teu trabalho, podes dizer algumas das tuas músicas ou participações de referência?

Primeiramente falar do “Regular Shit (o hino) feat. Eddy MuLa” E “DRIP MARROM”, (o banger), a minha música que mais tocou/toca, nem sei) que conta com a participação do artista da TRINITY 3NITY Gang, YNB NO VISION (já agora, holla pro nigga).

3. Como e porquê te tornaste músico e a origem do teu nome artístico?

O nome IhhZAS tem proveniência do meu nome de registro ISAIAS, pois, quando mais pequeno a minha velha chamava-me “ISA” e eu não curtia porque o nome está inclinado ao lado feminino e não era comum meninos serem tratados por alcunhas afeminadas, mas com o passar do tempo o nome sofreu mudanças, como vêm a escrita, e assim ficou, IhhZAS.

No que toca a música, a história não é nada intrigante, nem emocionante, pois entre os meados de 2013 e finais de 2015 fiz parte de dois grandes grupos na altura, CLS e a Bless Boyz Music, e fazer música estava na moda na época, então decidi partir para aventura.

4. Em que te inspiras para fazer música?

Na verdade, sou meio que movido a impulsos e na maior parte das vezes eu faço músicas quando estou aborrecido/entediado, inspiração vem no momento, não tem muito em específico coisas que me impulsionem a cantar.

5. Ouvimos a música “Drip Marrom”, por acaso está muito boa, parabéns, fale-nos sobre o processo criativo, composição e produção musical?

Já agora, obrigado! E, falando do Drip Marrom, o projeto começou em estúdio (All About Music, não é propaganda, mas não podia não dizer isso! É um dos melhores estúdios que temos na província), mas ya… o Clonizado, presta serviços na label, certo dia fui ter com ele e encontrei-lhe só, pedi que fizesse um beat na hora e o cara fez em menos de 20 minutos, wow! não deu para acreditar e como não podia fazer desfeita, acho que já sabem o que aconteceu.

E mais, o coro reflete o Drip no momento da composição. Ouvi a música e pensei, “isso é muito banger”, e não podia lançar a música sem participação, deixei o trabalho no estúdio por meses sem saber o que fazer… Certo dia contactei o DJEYELEF, pus-lhe a ouvir a demo e ele curtiu, pedi-lhe sugestões de participação e ele indicou-me ao YB NO VISION, nem pensei muito e o nigga encaixou-se mesmo sem estar na track, contactamos ele, o nigga sentiu a cena e entrou na onda, tudo o resto já sabem. Eu compus o coro e todo o meu verso, o YB também fez o seu trabalho. Produção de Clonizado.

6. Os produtores musicais são extremamente importantes para se obter uma trabalho com qualidade, quais são os Produtores nacionais e internacionais que mais admiras?

Produtores nacionais que admiro, Yuri Latino (experiente e visionário, sabe o que faz); Clonizado e Tiga Hits (muito talento e visão). Se estiver a esquecer alguém é porque não tenho notícias sobre o mesmo por tempo considerável para não mencionar aqui.

7. O que que achas que está a faltar dentro do movimento hip hop feito em português em geral?

“Partilho da mesma opinião que muitos outros artistas, o movimento hip hop precisa de mais união, seriedade e formação de alianças, pois os artistas que atingiram o auge são muito egocêntricos e ignorantes.”

Certa vez entrei em contacto com um e o nigga cujo nome prefiro não mencionar, ele nem respondeu as mensagens mano, fiz-lhe vários mails e só consegui respostas automáticas, quer dizer que, se não tiveres afinidades com alguém que conhece alguém até chegar a eles, eles não te ligam e não importa quem sejas. Saber valorizar o trabalho dos outros é fundamental e eu sempre valorizei o trabalho de quem quer que seja bro! Nós não estamos aqui para pedir favores, não sou o tipo de artista que pede favores, eu pago se quiser a arte de alguém, repito, não estou para pedir favores.

8. Acompanha o Rap feito noutros países da CPLP? Caso sim. Que artistas é que você leva como referência / inspiração?

Acho que posso falar do T-Rex, ótima referência, aquele gajo é fera, máquina de hits.

9. Fazem parte de uma Label? Caso sim, fale um pouco sobre ela. Caso não, gostariam de fazer parte de uma?

Não, eu não tenho Label, mas sou parceiro de uma, a CLONS’B. E não bro, não gostaria de fazer parte de nenhuma label, tenho trabalho que chegue por enquanto e não tenho paciência para exigências com grupos e/ou gravadoras.

10. Qual é o vosso auge a atingir como artista/rapper?

Acredito que não tenha dito acima, mas, não tenho pretensões de atingir grandes patamares na música, sempre olhei para música como algo para divertir-me, como tudo começou.

11. Como é o IhhZAS quando não está a fazer música?

Quando não estou a fazer músicas estou no gabinete 6-8 horas/dia 7/7 na maior parte dos meses, tenho responsabilidades com uma Unidade Sanitária, com o Governo Provincial da Lunda Norte e com o Estado angolano no que toca o setor da Saúde.

Sou estudante finalista em Gestão Empresarial, semi-empreendedor como anteriormente descrito e estou aberto a novos negócios e mais.

Já agora! Agradeço a oportunidade por prestar tal entrevista… Sem muito mais que dizer no momento… Holla Grandamambo, Holla mundo… é o IhhZAS.

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img
Recentes

Entrevista com Elves Filipe

O Portal GRANDAMAMBO entrevistou Elves Filipe, um rapper angolano que feito um forte investimento para conquistar o reconhecimento que...
- Advertisement -spot_img

Veja Também

- Advertisement -spot_img
×