Contactos

Luanda - Angola | Maputo - Moçambique

Entre em contacto.

Mas afinal de contas o que é um EP? 

Bem, antes de continuar, é necessário que entendamos uma coisa muito importante.

A Indústria da Música é volátil, e não existe uma instituição única que “dita” as regras e conceitos.
Mas Grandamambo, onde queres chegar com isso?

Que quero dizer é que você vai ver muitos conceitos ditos de uma forma por uma fonte, e de outra forma por outra, ou seja, pode haver uma certa dispersão em certos conceitos.

Muitas vezes não são “exatos”, não existe nunhum “dono da razão”, mas sim, deve haver um “ponto de convergência” nas ideias.

Porque sim, os conceitos originais existem e estão aí, só que com o passar do tempo novas abordagens foram surgindo.
Bem, uma vez entendida a mensagem acima, vamos lá explicar o que é um EP.

EP é abreviação do inglês, Extended Play.

O EP é uma gravação/projecto musical que contém mais faixas do que um single, mas geralmente não é qualificada como um álbum ou LP.

EPs contemporâneos geralmente contêm um mínimo de 3 faixas e um máximo de 6 faixas, e são considerados “mais baratos e menos demorados” para um artista produzir do que um álbum.

Um EP originalmente se referia a tipos específicos de discos de vinil de reprodução padrão de 78 rpm, mas agora é aplicado a CDs de tamanho médio e downloads digitais.

O EP é como uma alternativa dos singles daí o termo “extended”, que indica que o EP é um projeto estendido com mais faixas, diferente do single que é apenas uma faixa solta.

Alguns artistas preferem chamar o EP de “miniálbum” para dar um significado maior ao seu trabalho.

O conceito de EP surgiu entre os anos 50 / 60, como uma compilação de algumas músicas que é amostra de um álbum lançado ou que será lançado.

Ricardo Baca, do The Denver Post, disse: “Os EPs são lançamentos de singles originalmente estendidos. e são mais curtos do que os álbuns tradicionais”.

Ou seja, muitas fontes consideram o EP também como um “álbum”.

Porque não há diferença de qualidade final com aquilo que chamamos de “álbum”, o LP (Amanhã vamos falar do disso).

A grande diferença entre o EP e o LP (Álbum), está na quantidade de faixas!

No Reino Unido, a Official Chart Company afirma que “o EP é um álbum com 25 minutos de duração máxima e não mais do que 4 faixas (sem contar as versões alternativas das músicas apresentadas, se houver).

Contudo, um EP dos tempos modernos é geralmente definido como geralmente entre 4 e 6 faixas, com algumas fontes configurando um máximo de 7 faixas ou 28 minutos.

Todavia, nós da Equipa Grandamambo já vimos um pouco de tudo, EPs com 2 faixas (Que na verdade é Maxi Single), EP com 10 faixas (Já exagerou) e como também EP de 8 faixas, ainda se aceita.

Sendo assim, crimos uma definição geral e abrangente, que quem quiser pode passar a usar daqui para frente, use a vontade.

Segundo o Grandamambo, “O EP é um álbum em miniatura que tem no mínimo 3 faixas e no máximo 7 faixas, cuja duração total não deve passar do 28 minutos”.

Se violar essas regras, simplemente deixa de ser EP, porque deixa de fazer sentido uma vez que não possui as suas características.
Mas ainda surgem algumas questões:

1. Qual é a diferença entre o EP e o Álbum/LP? 🤓

Resposta: De uma forma geral é a quantidade de faixas e a duração total.

2. Posso usar beats “da net” ou de outros artistas no meu EP? 🤓

Resposta: Na verdade você pode inclusive usar no teu álbum os beats que quiseres, o GRANDE problema é que existem instrumentais LICENCIADOS.

O que significa isso?

Significa que se você decidir usar eles para ganhar dinheiro, estarás a violar os direitos de autor, e o dono tem todo direito de te processar e vais ter que lhe indeminizar.

Falaremos disso com mais detalhes noutra ocasião.

Então, posso usar beats da internet no meu EP?

Resposta: Se tiveres autorização do autor do mesmo, podes, inclusive podes usar no álbum.

Não esqueça por favor de dar a sua opinião e partilhar. 🤔

Comentários do Facebook

Compartilhar:

Grandamambo Editorial

administrator