Contactos

Luanda - Angola | Maputo - Moçambique

Estamos disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana. Entre em contacto:

VOCÊ OUVE FALAR, MAS SABES BEM O QUE É UMA MIXTAPE? 🤔🔥🔥🔥🔥🔥🔥🔥

Uma mixtape é uma compilação de música gravada, normalmente de várias fontes.

A ideia original do termo “Mixtape” descreve uma compilação “caseira” de música em uma fita cassete, CD ou lista de reprodução digital.

Nos primórdios do hip hop, a música só existia ao vivo, então a música dos artistas era espalhada em cassetes.

Segundo relatos, as Mixtapes de hip hop apareceram pela primeira vez em meados da década de 1970 na cidade de Nova York, apresentando artistas como Kool Herc e Afrika Bambaataa.

Em meados dos anos 1980, DJs, como Brucie B, começaram a gravar suas músicas ao vivo e vendê-las como mixtapes, que logo foram seguidos por outros DJs, como Kid Capri e Doo Wop.

Ron G moveu a mixtape no início de 1990, misturando R&B a cappellas com batidas de hip hop (conhecidas como “blends”).

Na cultura do hip hop e do R&B, uma mixtape geralmente descreve um conjunto de músicas autoproduzidas ou lançadas de forma independente, distribuidas gratuitamente para fins de marketing ou evitar possível violação de direitos autorais.

No entanto, hoje em dia, o termo é aplicado a uma série de projectos com fins lucrativos, na década de 2010, que é chamada de “Mixtape Comercial”.

Neste contexto, uma mixtape é comparável a um álbum de estúdio ou um EP, visto que não há muita diferença em termos de qualidade e concepção.

Um bom exemplo de uma Mixtape Comercial é “JEFFERY” do rapper Young Thug. É creditada pelo artista e sua produtora como uma Mixtape, mas tem qualidade de “álbum”, os instrumentais são todos originais e o fim é totalmente comercial.

Qual é a diferença com um álbum convencional? Humm não sou eu que vou dizer kkkkk.

A HISTÓRIA DA MIXTAPE 😃

As Mixtapes se tornaram comuns na década de 1980.

A ideia de gravar música de forma informal em cassetes agradava a qualquer artista, principalmente os independentes.

Embora a fita cassete compacta da Philips tenha aparecido no Berlin Radio Show de 1963, a qualidade do som das fitas não era boa o suficiente para ser seriamente considerada para gravação de música até novos avanços nas formulações de fitas, incluindo o advento do cromo e da fita metálica.

Antes da introdução da fita cassete, a criação de uma compilação de música pop exigia equipamentos especializados ou pesados, como um gravador de bobina a bobina ou de 8 pistas, que muitas vezes ficava inacessível para o fã de música casual.

À medida que as fitas cassete e os gravadores cresceram em popularidade e portabilidade, esses obstáculos tecnológicos foram reduzidos ao ponto em que os únicos recursos necessários para criar uma mixagem foram um punhado de fitas cassete e um gravador conectado a uma fonte de música pré-gravada, como um rádio ou leitor de LP.

O crescimento da mixtape também foi incentivado pela melhoria da qualidade e aumento da popularidade dos leitores de cassetes de áudio em sistemas de entretenimento de automóveis e pela introdução do Sony Walkman em 1979.

DNa década de 1970, DJs como Grandmaster Flash e os Furious Five, Afrika Bambaataa e Soulsonic Force, Kool Herc e os Herculoids e DJ Hollywood costumavam distribuir gravações de suas apresentações em clube via cassete de áudio, bem como gravações personalizadas (frequentemente preparadas a preços exorbitantes) para compradores individuais de fitas.

Essas gravações tendiam a ser de maior habilidade técnica do que mixtapes caseiras e técnicas incorporadas como beatmatching e scratching.

Ao longo da década de 1980, as mixtapes eram um elemento altamente visível da cultura jovem.

No entanto, o aumento da disponibilidade de gravadores de CD e tocadores de MP3 e o desaparecimento gradual dos tocadores de fita cassete nos carros e nas residências levaram a um declínio na popularidade da fita cassete compacta como meio para mixagens caseiras.

O ponto alto da cultura da mixtape tradicional foi, sem dúvida, a publicação do romance High Fidelity de Nick Hornby em 1995.

Desde então, as mixtapes foram amplamente substituídas por CDs de mixagem e playlists de MP3 compartilhadas, que são mais duráveis, podem conter mais músicas e requerem minutos ( em vez de horas) para se preparar, e os tocadores de MP3 levam apenas alguns segundos em comparação com os CD-Rs.

Hoje, os sites de música oferecem mixtapes em formato digital.

CONSIDERAÇÕES FINAIS 😃

O conceito de Mixtape foi criado para promover um ou mais novos artistas, ou como um pré-lançamento por artistas mais consagrados para promover os próximos álbuns “oficiais”.

Chama-se MixTape, por causa da relação entre música e fitas cassetes.

Podemos considerar como propósitos das Mixtapes os seguintes pontos: 🤔

1. Promover música de forma a conquistar fã base.
2. Promover música de forma independente e informal.
3. Promover música de forma a servir de amostra para as pessoas comprarem o álbum o artista.

E você? Qual é a contribuião que tens a dar acerca das Mixtapes? Do passado e dos tempos actuais. 🙂

Comentários do Facebook

Compartilhar:

GM Team

administrator

Grandamambo é um Portal que centra o seu conteúdo na Promoção, Informação e Educação Musical, Cultural e Artística.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *